INTERCÂMBIO | 15 de fev

Como fazer um intercâmbio gastando pouco

Quem nunca sonhou com um intercâmbio, mas esbarrou em questões como tempo, língua e principalmente preço. Fazer um intercâmbio nem sempre é uma decisão fácil a ser tomada, mas acredite se o seu motivo for o preço, é muito mais fácil de resolver que você imagina.

Muitos alunos começam a organizar um um intercâmbio, mas acaba desanimando quando começa a calcular os custos. Então para te ajudar a ver o leque de possibilidades que você tem mesmo com pouca grana, resolvi escrever esse post.

Antes de te mostrar como pode ser fácil realizar o seu sonho, sugiro que você leia outro artigo com as habilidades que você precisa se pretende viajar pelo mundo. Para ler o artigo clique aqui.

Leia também “As vantagens de se viajar sozinho”.

Comece por pesquisar o destino e a escola, lembre-se que pequenos detalhes podem te garantir o melhor custo-benefício, então não se afobe e pesquise com muita atenção todas as possibilidades. Faça uma lista de prós e contras de cada opção e se ainda assim não conseguir um vencedor, comece novamente e veja se não esqueceu nenhum detalhe.

Você deve pesar muito bem preço e qualidade, nem sempre o menor preço vai garantir que seu intercâmbio tenha qualidade.

Na hora de fazer o seu investimento observe muito bem as questões:

Trabalho

Se o seu objetivo for fazer um intercâmbio longo, opte por destinos onde você possa trabalhar legalmente. Assim suas despesas serão bem menos pesadas.

Pesquise sobre o custo de vida local 

Se o período do seu intercâmbio for curto e você não poderá trabalhar, pesquise sobre todas as formas de economizar. Pesquise o custo de vida, aproveite promoções aéreas e com vistos.

Metrópoles são mais caras

Se o seu objetivo é economizar, evite as grandes metrópoles famosas. Cidades grandes e turísticas podem apresentar preços de cursos atrativos, mas o custo de vida e acomodações serão mais caros e distantes.

Cidades menores tem custo de vida bem mais baixo e com menor frequência de turistas. Cidades menores também proporcionam maior contato com a população e cultura local, enriquecendo a experiência cultural do intercâmbio e favorecendo a fluência do idioma.

Qualidade do ensino pode influenciar no seu visto

Cuidado com preços muito abaixo da média, isso pode significar uma grande perda na qualidade do ensino. Em alguns países no momento de analisar a concessão de visto, costumam fazer análise da qualidade da instituição onde o estudante vai estudar. Isso pode significar pontos a mais (ou a menos) na solicitação do visto de entrada.

Abuse dos serviços de orientação

Consultores de intercâmbio podem ajudar e muito. Pergunte a ele sobre a mistura de nacionalidades da escola, quais opções facilitam o emprego, peça ajuda para comparar acomodações e custos de vida. Lembre-se que cada detalhe faz diferença no bolso, então planeje com muito cuidado toda a sua estadia no exterior.

Veja também:

40 Lugares que você deveria conhecer

As mudanças para emissão de vistos dos EUA

Compartilhe esse post com seus amigos na esperança de espalharmos mais rapidamente essa mensagem.

Forte abraço e até o próximo artigo!
Ana Flávia, gerente de marketing do CCBEU