CCBEU | 04 de abr

A robótica no mundo

A robótica surgiu apenas no século 20, mas a história das invenções automatizadas é bem mais antiga, remontam à idade antiga. Na Grécia antiga, já apareciam obras como os textos Pneumática e Automata, que testemunham a existência de centenas de diferentes tipos de máquinas capazes de movimento automatizado.

A palavra robótica aparece pela primeira vez na obra “O Mentiroso” do autor de ficção cientifica Isaac Asimov, em 1941. À partir de então, autores de ficção cientifica têm se interessado pela capacidade de produção de máquinas que emitem ou motivem os seres humanos, como no mito grego de Pigmalião.

Um robô nada mais é que uma máquina capaz de um movimento para a realização de uma tarefa. Robôs usam uma codificação que os diferencia de outras máquinas, por isso tem sido utilizados nas indústrias, devido às suas capacidades como resistência, robustez e precisão.

Idade Antiga

Acredita-se que as primeiras máquinas automatizadas surgiram com os gregos e romanos da antiguidade, porém não há confirmação da criação efetiva dessas máquinas.

Idade Média

Durante a Idade Média, na Europa e no Oriente Médio, surgiram máquinas automatizadas como partes de relógios. O polímata árabe Al-Jazari (1136-1206) deixou textos descrevendo e ilustrando seus dispositivos mecânicos, incluindo um grande relógio elefante que se movia e soava na hora, uma banda de robô musical e uma garçonete robótica que servia bebidas.

Muitos equipamentos foram criados inspirando-se em animais e figuras humanoides com simples sistemas de movimento. No século 18, a robótica teve um grande avanço devido a expansão do conhecimento em mecânica e a criação de novas peças. O primeiro robô biomecânico (uma figura humana que tocava uma flauta), foi criado pelo engenheiro francês Jacques Vaucanson.

Revolução Industrial

A Revolução Industrial representou o maior foco em matemática, engenharia e ciência na Inglaterra, isso contribuiu substancialmente para o avanço da robótica no mundo. No início do século XIX, Charles Babbage (1791 – 1871) desenvolveu alguns fundamentos da ciência da computação, seus projetos mais bem sucedidos é o motor de diferença e o motor analítico. Porém, nenhum desses projetos foi concluído por falta de fundos.

Esse também foi o período de desenvolvimento de máquinas a vapor e motores que ajudaram a tornar a fabricação muito mais eficiente e rápida.

Século XX

Em 1920, Karel Capek criou um jogo R.U.R (Rôbos Universais de Rossum), que introduziu a palavra “robô”, o termo foi embasado em uma antiga palavra eslava que significa algo como “trabalho monótono ou forçado”. Mas foi apenas 30 anos mais tarde que o primeiro robô industrial começou a trabalhar.

Em 1950, George Devol projetou o Unimate, um dispositivo de braço robótico que automatizava tarefas em uma fábrica da General Motors em Nova Jersey, esse dispositivo começou a trabalhar em 1961.

A Unimation, empresa fundada por Devol com empresário da robótica Joseph Engelberger, foi a primeira empresa de fabricação de robôs. O robô foi inicialmente visto como uma curiosidade. Logo, a robótica começou a se desenvolver como outra ferramenta no arsenal de fabricação industrial.

Quer saber mais sobre robótica e aprender a fazer o seu próprio robô? Então não perca no dia 7 de abril (sexta) o CCBEU Robotic Trends. O evento vai fazer com que estudantes de Goiânia montem seus próprios robôs. E, de quebra, aprendam a programá-los e colocá-los para funcionar. Clique aqui e saiba mais.
CCBEU Robotic Trends
Aula de Robótica
Local: Centro Cultural Brasil Estados Unidos-CCBEU. Rua C-243, nº 236, Jardim América
Data: 31 de março e 7 de abril (primeiro módulo), das 14h30h às 18h
Preço: R$ 20 (por módulo)
Participação: a partir de 10 anos de idade
Classificação Indicativa: livre
Aberto a toda a comunidade

Programação
Módulo 2: 28 de abril e 5 de maio
Módulo 3: 19 e 26 de maio
Módulo 4: 2 e 9 de junho
Robotics Challenge Day: dia 23 de junho, das 14h às 18h

 

Veja também:

Como trabalhar em Londres: agências de recrutamento

5 Destinos inusitados para fazer seu intercâmbio

10 Destinos para mulheres que amam viajar

As 15 praias mais bonitas da Europa

 

Gostaram?

Compartilhe esse post com seus amigos na esperança de espalharmos mais rapidamente essa mensagem.

Forte abraço e até o próximo artigo!
Ana Flávia, gerente de marketing do CCBEU.

 

Fonte: Ciências e Tecnologias